(41) 9211-3550 | (15) 9 9844-6329emagrecimentovivianeraizer@gmail.com

Doenças Psicossomáticas

Home / Doenças Psicossomáticas
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS – LINGUAGEM DO CORPO
SINTOMAS COMUNS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS SOB O PONTO DE VISTA PSICOSSOMÁTICO

DOENÇA/ÓRGÃO

CARACTERÍSTICA

DINÂMICA

CURIOSIDADE

PERGUNTAS QUE DEVEMOS FAZER A NÓS MESMOS:

INFECÇÃO

Um conflito que se manifestou de forma física. (“Deixar-se invadir por bactérias, vírus ou toxinas”).

Trava-se uma verdadeira “guerra” dentro do corpo: os bacilos tomam posição e são atacados pelas defesas do corpo (anticorpos), o que pode resultar em inflamação ou febre; Como consequência é possível vencê-los (cura) ou perder a guerra (morte); se ambos os lados atuam com a mesma competência, ocorre “empate técnico”. (A doença crônica)

Há dois princípios de imunização, o passivo e o ativo. No primeiro caso, anticorpos produzidos em outros organismos são injetados no paciente ( a nível psicológico corresponderia a aceitação de soluções pré-fabricadas, a administração de remédios que foram eficazes “para outras pessoas”); já a imunização ativa faz com que o organismo do paciente reaja à introdução de germes enfraquecidos inseridos em seu corpo, permitindo uma movimentação de defesas.

Que conflito estou evitando? Que conflito estou tendo que fingir que não existe?

SISTEMA IMUNOLÓGICO

Resistência a algo;

não deixar entrar

As alergias são manifestações do sistema imunológico; a agressividade (consequência da resistência) se precipita da consciência para o corpo físico, onde se faz notar, “atacando” objetos inócuos como foco da hostilidade; pólen de animais, poeira, são em pó, fumo, certas frutas e alimentos.

A alergia a pelos de animais é associada a falta de carinho e caricias; o pólen é associado a fecundidade e reprodução, relacionado a temas como amor, desejo, sexualidade e a fertilidade; a alergia ao pó e a sujeira também tem fundo sexual (sexo é sujo, é impuroetc.) Os alérgicos se utilizam de sua suposta fragilidade para dominar os outros  (impedem alguém de fumar na sua frente, os animais de estimação são encarcerados, para que não desfilem pela casa enquanto a visita desfruta do espaço que lhes pertence, etc..

Por que não consigo tomar consciência de minha agressividade?

O que procuro evitar, o que me causa medo? Para que temas apontam minhas alergias? Até que ponto as uso para manipular o meio ambiente? Qual é minha capacidade de amar?

A quem eu sou alérgico?

RESPIRAÇÃO

É um estado de troca (inspiração e expiração), representa nossa capacidade de assimilar a vida.

Traduz a polaridade da tensão e relaxamento (inspiração e expiração), do dar e receber. Reflete a nossa vontade de tocar (ou não) o outro; alguém pode nos deixar sem folego pôr ser extremamente agradável ou, ao contrário, tremendamente insolente.

A respiração é nosso primeiro ato de liberdade (ao respirarmos pela primeira vez, rompemos com o vinculo materno; mas o medo do desconhecido pode nos tirar o folego, quando em meio a uma reunião “precisamos de um pouco de ar”, necessitamos de liberdade, de um espaço maior para nossas idéias.

O que me faz sentir falta de ar? O que me recuso a aceitar ou evito dar? Com o que não desejo entrar em contato? Tenho medo de fazer uso da liberdade?

BRONQUITE ASMATICA

Distúrbio da respiração que reflete o desejo de receber mais do que doar

A expiração é sufocada. Embora o asmático inspire quantidade suficiente de ar, quase sempre define o sintoma como “falta de ar”. Os pulmões incham com a inspiração forçada e isso produz um espasmo no momento de expirar.

A asma reflete também o desejo de se isolar; ou de receber mais atenção através de uma falsa inferioridade, altamente manipuladora; o que deseja mesmo é viver “nas montanhas”, o que revela seu desejo oculto de superioridade e dominação. Ele se recusa a enfrentar o lado sombrio da vida, ama a limpeza, as coisas claras, evita a escuridão.

Em que aspectos da vida quero receber sem dar nada em troca? Como lido com o conflito entre a vontade de dominar e a sensação de inferioridade? O que valorizo e o que rejeito? Como se expressa o medo que fundamente meu sistema de valores? Que setores da vida procura evitar pôr considera-los baixos, sujos?

GRIPES, RESFRIADOS

Expressam conflitos interiores através de processos inflamatórios agudos; representam situações de crise.

Atingem mais os órgãos respiratórios, podendo refletir-se também na garganta; nosso desejo de fuga devido ao estresse encontra nas gripes e resfriados uma justificativa legitima de passar o dia de “molho”

Quando alguém nos diz que está “pôr aqui”, é bem provável que venha a manifestar um estado gripal. Nesse estagio, ninguém deve se aproximar de nós (“Não se aproxime”), bem como os espirros mantém qualquer curioso afastado. A tosse (quando há) também impede nossa comunicação com os demais. O inchaço das amigdalas nos alerta para o fato de que “já não é possível engolir tudo”.

Quais os conflitos que estou enfrentando? O que não estou enfrentando? O que não estou querendo comunicar? Com quem não estou querendo me comunicar?

DIGESTÃO

Refere-se ao lado material da vida; estabelece o que é suportável e o que não é, assimilando as coisas boas e eliminando as que não servem.

Como no processo respiratório a digestão trata da integração através da ingestão de alimentos, havendo uma troca que se refere ao processo de assimilação e eliminação.

A fome de amor se expressa através do desejo de ingerir doces e petiscos fora de hora; as pessoas que realizam trabalho intelectual gostam de comidas salgadas ou bem condimentadas; os conservadores apreciam as conservas, os defumados, os chás fortes sem açúcar, os tímidos preferem dietas sem sal e sem temperos e, temendo qualquer tipo de confrontação, podem adotar a dieta liquida; os que temem as espinhas do peixe na verdade fogem das agressões; quem não aprecia caroços tem medo de problemas, não gosta de chegar ao cerne dos fatos. Já os macrobióticos vão atrás dos problemas através dos alimentos duros; a dureza reflete certa  dificuldade em lidar com o amor e o carinho.

O que esta me roendo por dentro?

Como lido com meus sentimentos? O que me deixa tão azeda?

 

 

DENTES E GENGIVAS

Morder reflete nossa atitude agressiva diante do mundo, nossa capacidade de “agarrar” as coisas com os dentes

Através dos dentes reduzimos a comida a pedacinhos, o que facilita a digestão.

A adaptabilidade social exigida hoje tem trazido problemas a nossa dentição e gengivas, alicerces da nossa agressividade e vitalidade. Há pessoas que rangem os dentes a noite por não serem capazes de expressar sua agressividade nas tarefas diárias.

Como estou expressando minha agressividade?

ENGOLIR

O ato de engolir representa a aceitação e a integração

Os alimentos são reduzidos e engolidos com a saliva; bocados maiores são difíceis de engolir, assim como grandes dificuldades em nossa vida.

“Um bom gole” ajuda a engolir os problemas e reflete no alcoolismo. O alcoólatra substitui a comida pela bebida, mais fácil de descer pela garganta.

O que esta acontecendo agora em minha vida que eu não quero ou não posso engolir?

NAUSEAS E VOMITOS

Quando os problemas pesam em nosso estomago, é comum sentir náuseas ou tentar vomitar o excesso.

Excessos, misturas ou mesmo certos tipos de alimentos são recusados por nosso estomago. A náusea levada ao extremo acarreta o vômito.

“Sinto enjôo só de vê-lo” expressa com clareza o principio de não-aceitação. Nos casos de gravidez, as náuseas podem ser provocadas pela resistência inconsciente contra o filho, contra o sêmen do parceiro ou a recusa em assumir o papel de mãe.

O que não estou aceitando neste momento? O que quero recusar e não tenho coragem?

ESTÔMAGO

O principio da aceitação que implica estar aberto, passiva e ser capaz do ato da entrega

O estômago recebe os alimentos mas também produz o suco gástrico ácido. Os ácidos atacam, corroem, agridem.

O excesso de acidez provoca a corrosão do órgão; quando a pessoa não se permite exteriorizar seus conflitos, tende a se tornar “azeda”. O estomago requer então o mesmo tratamento da infância: passa-se a ingerir mingaus, sopas etc…Alguns recorrem ao uso de antiácidos, que promovem o arroto, forma de liberar um pouco da agressividade reprimida.

Como fujo dos conflitos? Como expresso minha agressividade? O que não estou conseguindo digerir?

INTESTINOS

Os intestinos promovem a absorção

O intestino delgado tem função semelhante ao cérebro: enquanto este difere impressões imateriais, o intestino delgado digere impressões materiais; no intestino grosso é retirada a água do que resta dos alimentos não-digeridos.

Distúrbios no intestino delgado podem revelar assentuado senso analítico, ou, ao contrario, incapacidade de criticar. Desinteria e diarreia refletem situações de medo. É preciso deixar fluir para nos desapegarmos. Já o intestino grosso pode causar prisão de ventre, que traduz o fato de a pessoa não querer doar nada, não deixar ir. Prender em si situações do passado.

Hemorróidas: muita carga e pressões.

De que tenho medo?

O que não quero deixar ir?

PÂNCREAS

Revela a agressividade, mas também o lado doce da vida

O pâncreas possui uma dupla e paradoxal função: produz sucos digestivos (ácidos) e também a insulina.

A redução na produção de insulina se reflete na diabetes, a falta de amor do diabético, incapaz de reter o açúcar, eliminado na urina. O diabético pode entrar em coma pelo excesso de acidez no corpo.

O que tem me tornado azedo? Como posso doar e obter amor?

FIGADO

Laboratório do corpo, é capaz de analisar todas as coisas, evitando os excessos; distúrbios hepáticos refletem falta de moderação, assimilação exagerada.

O fígado é capaz de gerar e armazenar energia, sintetizar aminoácidos e desativar as toxinas do organismo.

O doente do fígado perde a potência e o apetite, ou seja, os prazeres da vida; a disfunção hepática induz a moderação, à paciência (único remédio após ter adquirido a hepatite), ao controle no que se refere ao sexo, bebidas e alimentação.

Em que sentido ando cometendo excessos? Até que ponto venho ultrapassando os limites? Em que aspecto perdi a capacidade de fazer uma avaliação e uma discriminação corretas? Confio nos outros?

VESICULA BILIAR

Agressividade bloqueada, “um poço de fel”

A vesícula conserva a bile produzida pelo fígado; se estiver obstruída por cálculos, não libera a bile para o processo digestivo.

Quando a energia deixa de fluir, ocorre um bloqueio energético; não encontrando uma saída, o bloqueio energético; não encontrando uma saída, o bloqueio tende a se solidificar na forma de pedras. Mães que não encontram um tempo para si tendem a bloquear suas energias; só liberadas através de movimentos  intensos e gritos provocados  pelas cólicas das crises de cálculos biliares.

Quanto estou bloqueando minha agressividade?

OLHOS

Acolhem as impressões e também refletem exteriormente os sentimentos e as intenções das pessoas.

Captam as imagens que se formam no cérebro.

A MIOPIA expressa alto grau de subjetividade, a pessoa que não consegue enxergar um palmo adiante do nariz; a HIPERMETROPIA  traz de volta as memorias longiquas, mas deixa de dar uma boa olhada no presente e as coisas mais próximas. O DALTONISMO  revela a pessoa apagada; a CONJUNTIVITE denota um conflito para o qual fechamos nossos olhos; a CATARATA é fruto da pessoa que não quer ver as coisas com nitidez; e o GLAUCOMA que leva a uma crescente diminuição do campo visual, nos mostra apenas os aspectos que queremos ver.

O que não estou querendo ver? Tenho medo de ver as coisas de maneira definida? Posso suportar ver as coisas como elas são? Qual aspecto de minha personalidade do qual procuro desviar o olhar?

OSSOS E ARTICULAÇÕES

A postura exterior reflete a postura interior

Os ossos e articulações são responsáveis por nossa sustentação, mobilidade e flexibilidade.

Enrijecimento das articulações demonstra enrijecimento perante algum fato da vida, inflexibilidade; deslocamentos, esmagamentos e contusões nos alertam para o fato de que também podemos estirar ou recolocar no lugar situações, relacionamentos e negócios; dores como a ciática ou lombar refletem excesso de encargos assumidos pela pessoa; pescoço duro revela obstinação.

Onde preciso ser mais flexível? Estou carregando excesso de trabalho? Meus conceitos estão se tornando rígidos demais?

 

Entre em contato conosco

Envie um e-mail para nós, que iremos responder o mais cedo possível.